sábado, 31 de julho de 2010

Quando não sei


Gosto quando me usas e eu nem sei
Gosto de ser a flecha que acerta o alvo
corre veloz
pela força do braço do valente e sua pontaria.
Porque quando me usas sem que eu saiba
Tua glória é mais perfeita
e não fica limitada
na minha humana pequenez
no Universo dos meus temores
e achismos,e fantasmas..
Não vou investigar a glória
Vou obedecer,sem ver
me alegrar,sem enxergar
o fruto do que realizas por mim
Sincera serei
inocente serei
ousada serei
sem saber onde vai chegar
a flecha certeira que lançaste
com teu braço forte
e teu firme olhar.
(poesias e reflexões de *Alessandra Barcelos)

E fez a minha boca como uma espada aguda, com a sombra da sua mão me cobriu; e me pôs como uma flecha limpa, e me escondeu na sua aljava;Isaías 49:2

2 comentários:

Chris Amag disse...

Olá, Alessandra!

É assim que a vejo, uma flecha certeira. Seu blog mostra a benção que você é, um vaso nas mãos do oleiro.

Parabéns pelos seus textos tão edificantes.

Fique na paz!
Chris

Michelle Nazar disse...

Alessandra querida! Que poema inspirado e abençoado! E, através dele, refleti sobre o meu dia de hoje..e lembrei, também, da linda música "Sonda-me". Você fez eu pensar bastante! Beijos e excelente semana ;-)

SEM FRONTEIRAS

type