terça-feira, 5 de abril de 2011

Poesias e reflexões:velhos sonhos


Foi uma tarde de um dia normal
enfiei as mãos até chegar ao fundo das gavetas
senti entre meus dedos sonhos amarrotados
que trouxe para diante de  meus olhos.
Pareciam sonhos tão frágeis,
como folhas velhas de papel  que de marcadas se rasgam..
desmanchavam em minhas mãos pedindo ajuda
desmaiavam e tremiam  suspirando o cansaço de quem chega a beira da morte
Eu vi  minha emoção fria   virar lágrima quente e escorrer dos meus olhos,
a boca assustou-se e num grito implorado e disse :
Ressucita!Acorde!Sonho...amado sonho, não morre!
Agarrei -me aquele velho  por mim outrora abandonado
Senti coragem denovo e por ela,dei-lhe um abraço apertado..
e na firmeza do meu toque  ele fez-se novo...
Agora andamos  grudados
meus sonhos velhos alimentando a mim estrada á fóra,
e eu alimentando  meus velhos e queridos sonhos.
(poesias e reflexõesde *Alessandra Barcelos)

Um comentário:

Fernanda Valente disse...

Amiga, elas sempre falam comigo. To com saudade. Estou esperando as coisas por aqui ficarem mais calmas para eu poder ligar. Vc está aqui no coração. Amo vc! Deus te abençoe muito! Salmo 126!

SEM FRONTEIRAS

type